domingo, 31 de janeiro de 2010

Alucinação

Ponta
faca
pronta
tonta.
Conta e apronta.

Norte de cá,
sul de lá.

Monta.
Pega.
Leva e desleva.
Fica
finca
pinta.

Rima teu pão
com minha boca.

Ponta.
Conta e apronta.
Contra faca,
leva
conta.

7 comentários:

Fouad Talal disse...

Luz, câmera, ação!
Alucinação?

Obrigado pela visita...
Um beijo!

Fouad Talal

i ILÓGICO disse...

Fernanda...admiração mútua!!!
Tu és muito!
Aponto e digo:
- é a conta! é a conta...

tossan disse...

Fernanda a poetisa moderna que tanto gosto! Tu és mais! Beijo

A.S. disse...

Fernanda...

Adorei este jogo poético das palavras!...


Beijos
AL

Filipe M. Vasconcelos disse...

Perda do juízo da realidade, se assim o poema o diz...

Quem alucina fantasia, faz coisas imaginadas...
Cria um mundo próprio, que apenas a si mesmo lhe dá graça...

Quem alucina vê, e mais que isso.. elabora..

Palavras soltas, minha amiga... Teus pensamentos, estão soltos também..?

Um beijo!!!

Nayara .NY disse...

Leva, rima, ponta...

lindo!

Flavitcho disse...

Mas não corta. rs

Saudade de vir aqui. :*

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.