domingo, 30 de agosto de 2009

Espelho

Não sei se me compreende
Ou te julgo cúmplice de
Meus delitos poéticos
Sem que o saibas.


És uma construção tão bonita
Que te materializar erradicaria
Tantas belas metáforas
Ainda por dizer.


Não é homem, corpo ou visão,
É essência que transpassa em
Forma ao chão, quando em ti,
Luz. Sou eu em você.

6 comentários:

clariinha.santana disse...

MARAVILHOOOSO! Não sei se descrevo essa sua característica (de escrever) como um dom ou um talento... Eu realmente gostei! Parabéns!

catarina mendonça disse...

Oii..
acho que não consigo compreender as coisas qdo elas elas ainda são luz! Penso que é mais sofrido tê-las como algo concreto, mas assim fica mais fácil perceber a proximidade.
:/
Mto complicado e abstrato. rsrs

Tenho comentado pouco. E a propósito... gostei da nova foto (nem sei se é tao nova assim!)

bju

Filipe M. Vasconcelos disse...

Minha amiga.. por onde vc tem andado..?? O que vc tem sentido..? Quem vc tem conhecido..? O que vc tem feito para chegar a escrever coisas desse tipo..? Coisas assim.. bonitas e charmosas..

Joshuatree disse...

Muito lindo e inteiro, amiga Fernanda.
Acho que vc tem cumplicidade com os deuses do universo, que te cobrem de tantos sentidos e sentimentos bons, que encantam nossos corações e alimentam nossa essência.

Grande beijo no coração.

mfc disse...

Toda a capacidade de imaginação é passível de poesia... e esta tua poesia é linda.

Vanrogue disse...

Fico impressionado em ver que a cada poesia você se torna cada vez mais perfeita com as palavras. Admito que não sou entendido de poesia, e apesar de admirar não sei viajar completamente nelas.
Mas gosto de ver o sentimento em cada uma delas escritas por você.

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.