segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Feliciana

Caminha Feliciana, caminha. Seus pés não sabem o que diz teu pensar. O olhar estende a mão que quase toca, não fosse o movimento do mundo. Feliciana, em que rua está? Onde mora o sujeito escrito no papel dobrado em seu bolso? Vira uma, duas páginas, e nada de aliviar seu penar. Feliciana, é paliativo correr, o tempo é dono de si. Feliciana... Teu nome me lembra algo que tive a me assombrar as noites em que Eulália repousava descanso sobre mim. E agora digo: venha Feliciana, te abrigarei depois que a chuva cair. Mas o céu está tão negro que teimo em deixar nosso encontro para amanhã.

5 comentários:

Andreia disse...

Olá Fernanda!
Adorei esta prosa tão gostosa!
Ternos beijos para ti e tenha uma linda semana...

M. Nilza disse...

Uau""!!

Muito bom. Realmente tantas vezes nossos passos caminham por lugares vãos...e outras por lugares que nem sabemos bem onde estamos... Lindo!
beijos e bom dia!

Filipe M. Vasconcelos disse...

Onde está Feliciana, Fernanda..? Em qual parte de você? E Eulália..?

mfc disse...

E há tantas Felicianas por esse mundo fora!
Um lindo texto evocativo.

Flavitcho disse...

Triste Feliciana. =/

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.