quinta-feira, 27 de maio de 2010

Sobre como me tornei máquina

A cobertura que se estende
Sobre meu sentir
É de palavras escudeiras
Que aquecem e alinham
Um desgovernado ser que sente
Em demasiada vivência.

Não é o manto que felicita
Um viver que cambaleia
Em pernas desnorteadas
Por um caminhar que cumplicia
A sombra; amar uma ideia
Não é amar um homem.

A dispersão desconexa
Argumenta uma enxurrada
De defesas que cuidam
De um corpo cansado
- não mente –
De pelos dias e futuro ser só
E desta solidão
Viver um nada.

11 comentários:

Gleidson Tadeu disse...

Somos engessados, muito bom o texto... Gosto muito de passar por aqui...

Visite meu blog
http://tottvscomunicacao.blogspot.com

Gleidson Tadeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tossan® disse...

olá Fernanda quanto tempo não é? O teu poema é soberbo e complexo talvez seja por isso que me fascina. Beijo

TOP BLOG ws disse...

Olá.
Venho por meio deste convidar-te a participar do 'Top Blog da Semana' do site 'TOP BLOG ws'.
PRÊMIO: Espaço de publicidade em um blog de qualidade. Cadastre seu blog e concorra.
http://videosincriveis.ws/topblog

Um grande abraço!

☆Fanny☆ disse...

Olá Fernanda!

Grande poetisa!
Fiquei fascinada com a tua capacidade de escrita! Senti-me identificada contigo em muitos textos que li.
Este teu blogue será paragem obrigatória para eu me deleitar um pouco com a beleza imensa das tuas palavras.

Um beijinho e um sorriso :-)*
Fanny

Filipe M. Vasconcelos disse...

Espero que a cobertura de palavras escudeiras que estendem sobre o seu sentir e que aquecem e alinham, não façam seu ser desgovernado, governar-se.. ocultar-se ou restringir-se através da medida simplista que as palavras apresentam ao tentar informar sobre sentimentos.
..
.

Fê, pela primeira vez vou ser indelicado nas palavras.. Mas quando terminei o último verso do seu poema eu simplesmente declamei: "Put.. q.. pariu... Que poema fod...!!"

Desculpe-me, mas existem sentimentos que apenas palavras esdrúxulas conseguem se aproximar para explicá-los...
Um beijo demorado de quem lhe gosta demoradamente!!!!

Joshuatree disse...

É na forma desse poema que te vejo, que procuro "ver" uma idiossincrasia exultante de frases metafóricos, que desenham as virtudes do que sentes e pressentes ... Bom demais te ler, e tentar tocar tua alma que se derrama em poesia.

Bjão no coração

GUINA disse...

A ALMA

Digo, plenamente, que há uma flor invisível
no teu caminho e pelo teu caminhar floresce;
uma flor feita de pura luz que ninguém a vê
nem teus olhos, quando buscam esse mundo

Digo, ainda, que essa flor é linda como o Sol
e como é feita da força e da luz que nela há
digo que essa flor é tudo que tens e possuis
e dela nunca queiras, porventura, afastar-se

Digo, obviamente, que essa flor é verdadeira
embora impossível o simples olho enxertá-la
Mas, enfim, como a ti chegam estes versos

Digo, com a mais bela simplicidade de poeta
que essa flor é perfeita, esplêndida e formosa
E floresce nos tic-taques que teu coração toca.


Guina

betomelodia disse...

olá, fernanda...

sempre passeio por teus post's, às escondidas...
mas hoje não posso deixar de mostrar-me, satisfeito pelo ótimo
poema´que publicastes...

beijos em seu po´[etico coração...

Contos e canções disse...

Uau...

Passei por aqui por acaso, mas gostei do que li...

Parabéns!

Tens mto talento!

cafecomosanjos disse...

Fernanda,

Não sei no que pensava ao escrever esse post, mas é simplesmente lindo. Cada um vê a paisagem que quer na sua janela e ao ler esse poema lembrei-me de como um caminho pode ser cansativo e solitário ao fazermos uma escolha não convencional... Ao seguir nosso coração...

Parabéns!

Jéssica Martins

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.