domingo, 3 de agosto de 2008

Reflexão - parte 2

Ao chegar em seu apartamento, abriu a gaveta da cômoda e depositou ali a fotografia. “Mais um homem de papel”, pensou. E viu inúmeros outros momentos que estavam ali guardados. Buscou, repetidamente, como o fazia quase todos os dias, aqueles dizeres em que sentido ainda não via.

Preciso falar-lhe: dome sua vida. Coloque rédeas nela, não importa se longas ou curtas. Guie-a. Opte por escolher, não se engane acreditando que tua existência tem pernas. Ela só caminha por ti. E mesmo que desejas ser levado aos passos do impensar, lembra-te de que não escolher é uma alternativa a ser seguida também. Não há estrada a percorrer que não a tenha escolhido. Não há silêncio que não seja um posicionamento de fala – sim, e são tantos os dizeres presentes na ausência dos sons.

Seja feliz com o que acreditas ser a felicidade. Se não a encontrar na ideologia que há tem ti, pensa. Se a casa construída para o abrigo não possuir teto, não conseguirás descansar em paz, dependerás do tempo sempre. Abriga-te por completo, metades aqui de nada valem. Você é único, os momentos é que diferem. Pensa, não é o contrário.

Acredita. Não espera, busque. Existem raízes por sobre a terra. E elas são sustentáculos também. Não existem apenas as subterrâneas, que nada vêem. As superiores têm a mesma função, é tão importante quanto. E não se esqueça: são superiores, não superficiais. E mesmo assim são alimento, fonte de vida. Estão expostas a maiores perigos, mas se esta é a natureza delas, não há como escapar. O importante é o desempenho, não o lugar. E raízes são raízes. Independente do solo em que estão plantadas.

Quero-te bem. Ressoa estas palavras em ti que elas refletirão. Precisamos ser mais felizes. E tem que ser agora.

Ainda se perdia ao seguir este pedido. Ainda se abrigava em casa sem teto. Amanhã, domaria sua vida, mas vivia sempre o hoje.
Quando se permitia sentir, sentia-se só.


Ânsia.
continua...

26 comentários:

ninariacho disse...

Adorei!!! Tô esperando a continuação........

Euzer Lopes disse...

Homens de papel para um coração que escreve com lápis da vida os medos da tinta forte do sofrimento?
Ou não?

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Muito bom. Comecei pensando que leria melusinas, mas fui surpreendido. Também esperarei pela continuação.

carla m. disse...

e por que guarda os homens de papel de ontem, se vive só o hoje e esquece do amanhã?!

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Boa Carla, é isso msm...mas perceba as ações desta personagem ao longo dos capítulos...talvez os próximos expliquem algo sobre isso...

rosangela disse...

Adorei .. até fui lero 1º..

Parabéns..

Quando sai o proximo??!!

abç..

http://www.analucianicolau.adv.br/

Chris disse...

Muito bom!!!
Já gostei do seu blog logo pela foto do cafezinho... rs...
Mas o conteúdo supera!

Erich disse...

"Se a casa construída para o abrigo não possuir teto, não conseguirás descansar em paz, dependerás do tempo sempre."

Sensacional ... sensacional

APaula Campos disse...

Só pra deixar na curiosidade!

Mt bom!

http://ofedor.blogspot.com

Stanley Marques disse...

Taí, a personagem consegue viver algo que a maioria das pessoas não: viver o presente! A única coisa que realmente temos nas mãos. Belo texto.

Convido você a acessar o ANTOLOGIA RACIONAL
http://www.antologiaracional.com/
passa lá!? parceria?

JackTekila disse...

Blog ta legal....

bjo

danisiinha disse...

otimo texto nanda.....
e ja tentei domar minha vida... tantas vezes... mas sempre sou domada por ela... rsrsr

Markynhu disse...

como termina?????? muito bem escrito...

Fábio C. Martins disse...

Fernanda, foi impossível não lembrar do filme "Doce Novembro". Não sei se você já viu o filme, mas ele trata um pouco desse assunto: Ser feliz, sem esperar o amanhã, porém, desejando o amanhã.

Adorei a continuação. Voltarei para ler a próxima.
Beijos
_________
Folhetim On Line - Hora Marcada

Danilo Moreira disse...

Muitas vezes é o triste destino da vida. Pessoas que são essenciais acabam virando um simples papel, e infelizmente, há momentos em que tb as palavras que precisamos ouvir tb nao passam dele.

Abçs!!!

Obrigado pelo comentário no meu blog.

Veja se vc já se acostumou com esse barulho que já faz parte da nossa vida.

Que barulho?

Então, confira:

----------------------------------
Delírio - Um Barulho...

http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
----------------------------------

Lê Stabiili disse...

Muito...Muito bom

"Seja feliz com o que acreditas ser a felicidade. Se não a encontrar na ideologia que há tem ti, pensa."

Simplesmente muito bom...
Estou ansiosa pela continuação....vou adicionar seu blog a minha lista de selecionados!!!

Um grande abraço,boa noite e passe no meu para conhecer se puder...

t+

Dih Fernandes disse...

Muito bom o texto...
Esperar pela continuação!!!

Abraço

http://www.avidanobeco.com/

carla m. disse...

voltando, e relendo...

o homem de amanhã, será o de ontem, depois de amanhã...

daan disse...

muito bom , espero a continuação :P

Patrícia Andréa disse...

Oi!
Valeu pela visita lá no meu blog! E pelo cometário tb!
Volte sempre!=)
Bjus!

Ana Lucia Nicolau disse...

Fernanda, gostei muito, estou esperando a próxima parte.
vou colocar seu degustação leterária como um dos meus favoritos no meu blog!

bob.loco Ah ViDa Eh lOcA mAnO!!! disse...

refletir eh essencial

abraços
http://blogaragem.blogspot.com

rfafla disse...

li so o primeiro paragrafo pois to sem tempo, mas ja deu pra ver que ta muito bom isso ai ^^, vo favorita e depois eu leiu

http://botecodeinutilidades.blogspot.com/

Flavitcho disse...

felicidade num dá pra esperar muito mesmo. ou você pega, ou ela passa a vez e a gente perde.

:)

homens de papel nao demonstram nada. nem fraqueza.

Alma Póetica disse...

Muito bonita a reflexão, é interessante observar as ações do personagem...
Parabéns!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

belo blog!
Passei por aqui, entrei e encontro seu blog.Adorei.Posso linkar você?
marthacorreaonline.blogspot.com

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.