segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Cecília

Cecília sentia-se adormecida. O tempo resolvera ser contínuo, sem alterações temporais que a obrigassem ao aconchego de mantas ou à observância do choro dos céus; pesado não se fazia o ar ou radiante o clarear do calor. O dia era. E só.

Bailavam emoções no corpo de Cecília. Compassada, dançava sem a perda do ritmo. Por vezes sozinha, por outras em termos. Seu corpo era. E só.

Atirada fora Cecília, pelas asas de uma borboleta, ao solo revolto de terra úmida. Amortecida pelas flores que ali jaziam, a nada sofreu. Teu propósito não era. E só.

E era só.

Invadida sentia-se Cecília.
_ Permito o arrombamento!
A chave, deixada por sobre a mesa, girava na fechadura aberta de seus olhos. Não mais só. E era. Cecília. Assim, permanente. Constantemente permanente.

28 comentários:

Lidianne Andrade disse...

muito legal
amei seu estilo, deu até inveja
mas espero q isso nao reflita a sua alma, pois é meio triste

TD disse...

Vc tem talento!

Gostei bastante do texto.

Abs.

Morango com leite condensado disse...

Olá!!! Tdo bem?

Vc tem aqui um belo blog... Bons textos!!! Gostei bastante...

Bjos

Abraão Vitoriano de Sousa disse...

beleza é o que não falta por aqui... amei!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Mas que belo texto nos apresenta querida amiga.
Cecília..., doce Cecília!
Apareça.
beijos.
tenha uma bela semana.

João Rafael disse...

Cecília...Se ciça entendesse...Se fora...E só..

Cristiana Fonseca disse...

Belo texto, tua escrita e estilo muito me agrada. Parabéns
Abraços,
Cris

FLÁVIO CIRCINI disse...

Olá Fernanda!
Cá estou novamente... Apesar do pequeno sumiço pelos comentários, estou sempre por aqui!
E é desnecessário dizer o quanto seus textos nos fazem bem!
Parabéns pelo talento (pela milésima vez, né? rs)
Grande abraço!!

Hilário Pereira disse...

Quem é Celília? Uma menina que pensava ser borboleta ou uma borboleta que pensava ser menina?

Demais!

Alam Oliveira disse...

Faço logo dois comentários:

1) E era não é! Só? não!

2) Sobre seu texto:
Confuso? não
Bom? não ....(musiquinha de suspense e unhas sendo ruída.... "suspense")Ótimo!
Sobre você, Fernanda: incomentável
Sobre Cecília: texto muito bom!

Catarina disse...

Cecília????

alguns dias na vida são realmente simplificados, se tornam simplesmente: 'e soh'! Mas, na maioria dos dias, não é possível simplificar dessa maneira... As situações, os conflitos e principalmente as pessoas, nos trazem d volta a realidade, nos mostram o qto é impossível ficar só ou ser somente só!

Mais uma vez, um belo texto... mas que reflete um estado de espirito ideal, aquele em que pretendemos, longe da realidade!

:P
feiosa!

rosangela disse...

Olá??

Passa lá no blog tem um selo pra vc!!

Abç.

http://ananicolau.blogspot.com/

Caio Rudá disse...

Posa poética é o nome disso. Simples e belo. Adoro esse estilo de escrita.

Leo Pinheiro disse...

Quase uma Meireles! ;)

Euzer Lopes disse...

Engraçado... Não sei porque razão, mas ao ler um fragmento da vida de Cecília me vieram duas palavras que, juntas, formam uma expressão curiosa e muito interessante:
ÁLTER-EGO.

Morango com leite condensado disse...

Olá!!!
Vim visitar,olhar as novidades e avisar que deixei um selo pra ti no meu blog!!!

Bjos

Rodrigo Marques disse...

Muito bacana!!

esse eu entendi, por tanto não tenho problemas, e só!!

Filipe M. Vasconcelos disse...

Antes um bailar de emoções no corpo do que um vazio.. um silêncio...
Quem seria Cecília, afinal..?
Eu adoraria conhecê-la de perto..
Beijos no coração senhorita..

beto melodia disse...

oi, fernanda:

perfeito, lindamente perfeito:
"... a chave deixada por sobre a mesa, girava na fechadura aberta de seus olhos ..."
parabéns, minha amiga...

beijos em seu poético coração e um belo final de semana.

Ocappuccino disse...

Cara Fernanda. Lindo Demais.

Atirada fora Cecília, pelas asas de uma borboleta, ao solo revolto de terra úmida. Amortecida pelas flores que ali jaziam, a nada sofreu. Teu propósito não era. E só.

Mateus d'Ocappuccino

Flávio Souza disse...

Gostei muito do texto.

A pausa no "e só" foi muito bem pontuada.

Uma um ótimo texto para degustar. Parabéns, Fernanda!

Jeff McFly disse...

Não entendi muito bem o texto... mas ve-se que cecpilia foi desprezada, né? acertei?

Abraço e vamo que vamo!

Florzinha e Lindinha disse...

Muito legal!
Adorei o texto.
bjs

Paula disse...

Tenho que ser sincera. Gostei bastante do primeiro e segundo parágrafo. Palavras bem escolhidas, tudo muito coerente. O final, no entanto, mostrou-se muito confuso e fiquei sem entender a idéia do texto. Imagino que é sempre difícil compreender a essência do que outrem escreve, mas, de alguma forma, a gente ainda pode tornar isso um pouco mais claro. É uma crítica construtiva. Não me entenda mal.
Abraços.

Floradas de amor disse...

Me escutas, Cecília?
Mas eu te chamava em silêncio
Na tua presença
Palavras são brutas

Gostei!!!
Boas vibrações sempre!!!

bira disse...

Adorei esta, uma Viajem de todos nós...
(O Crazy Ufólogo)

Hannah disse...

Fernanda!Adorei todos os textos que aqui li.
Cecília em especial...Quanta leveza nas palavras!

Parabéns.
UM grande beijo!

Flavitcho disse...

Conheço umas Cecílias...
Umas que parecem com a tua de nome e outras pela personalidade mesmo.

:hmm

E só.

:)

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.