sábado, 13 de dezembro de 2008

Ao meu Zé

...meu coração decresce a cada suspiro de saudades. Chora meu peito ao som da canção que se calou. Sinto-te ausência nesta tarde bonita. O dia tem a sua lembrança.

Faz ano de tua partida. Mas te tenho como ontem, em teus olhos os meus, minha face. Teu permante carinho acolhe a falta que sinto de ti. Choro por ser esta minha essência. Sei que nada escolhemos, a vida ruma por si. Não nos obedecem quereres e vontades.

...e eu sentia forte teu amor por mim. Jamais esquecerei das vezes que dançamos juntos: de teus dizeres e de tua felicidade. Queria que estivesse do meu lado para se orgulhar de mim e me cuidar tão bem como sempre o fez, com os mais simples gestos.

Ao escrever-te digo aos que sinto:

Jamais esquecerei os banhos de mangueira no quintal, a ida à montanha observar os carros que lá embaixo passavam, sua risada a me contar um segredo e o sorvete na praça. Não quero rebuscar palavras, escrever bonito hoje. Só quero que saibas....

A lembrar-te em canção...

Zé (Liminha e Vanessa da Mata por ela)

6 comentários:

João da Silva disse...

Opa! Já conseguiu me arrancar algumas lágrimas... que linda declaração de amor!
Sem comentários, vou só vivenciar mais um pouquinho, que isto é bom demais.
Beijinhos carinhosos, com aroma de rosas, do João

Fernanda Vaitkevicius disse...

Que blog lindo.

Cheguei aqui por meio do blog da Martha.

Estou emocionadíssima e como você também sofro desse excesso, mas só sei viver assim.

Beijos, parabéns!

Flavitcho disse...

Ai, que lindo...

muuuuuuuuuuito lindo..
tem recordações que nos são muito mais lindas do que meia dúzia de palavras rebuscadas.
adorei muito.

bju. (:

Hilário Pereira disse...

Como diria a Carmem de Carrossel...

"Ela é tão sentimental...!"

Tenho encontrado muito saudosismo por aqui...

Um beijo!

Pensador Poético disse...

Fernanda você não sabe como eu é uma honar está no seu blogger e ainda receber um comentário seu.
Você tem um censo poético extremamente profundo e suas narrativas são impecáveis , quando eu leio tenho a impressão que é você que está lendo pra mim com uma voz doce e querendo me mostrar algo , algo que só eu e quem estar lendo descobri sozinho que é o sentido das suas poesias,tenho também a impressão que estou na minha casa aconchegante numa manhã um pouco chuvosa , chuvosa lá fora porque dentro da sua poesia está o sol e a harmonia. Esse é o sentido, é a luz da poesia, nessa manhã tomei meu café e degustei umas poesias da senhorita Fontes rs.Obrigado Fernanda, espero ter você aqui sempre !!!!!!!!!

Bill Stein Husenbar disse...

Sentimental e profundo.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.