terça-feira, 17 de março de 2009

Paz de ti, em ti

Estais a porta com a felicidade nos lábios à minha espera. Porta um alinhado tom de equilíbrio que se esvairá ao meu encontro.

Digo.

Terna tua presenta a inundar-me de sabores e acolhimento. Me entendes a alma. Entendo teu corpo. Te necessito mais que a mim. E nos embalamos nesta esfera poética, real, de carne e pele. Clamo-te parte algoz que devora minhas palavras antes mesmo que eu as diga. Ao meu passo, lado, frente. Aqui dentro. Devore-te os olhos, corpo, sereno tuas dores e prazeres. Aqui dentro.

Recebo-te.

Entras pela porta a agitar braços e pernas e porquês. E me viras a face ao silêncio de nós. Nós. E as janelas, o vento, o som da música vem, vai. Ai! E o ir e vir, o dia claro, onde está o céu?...as estrelas...prossiga, me sinta, te vejo. Em teus olhos, aquela que pela manhã perdera a hora. Por achar a noite perdida ao passo do negro céu de lágrimas trovejantes.

E a paz de ter-te zelado o segundo.

E vou sem ponto ao encontro do passo que neguei. Porque o mistério, um dia, chega ao fim.

20 comentários:

Pink Rose disse...

Oiii... Linda, tem selos pra vc no meu blog!

Bjos

http://amorfilosofoamor.blogspot.com/

Pink Rose disse...

Ah! Lindo texto!! Não canso de dizer! ^^

João Rafael disse...

Dilacerando as fronteiras das palavras.. Re.vestindo as mesmas de tenras carnes...Leves incógnitas. Coisas da cabeça de gente. Gente. Carne e razão. Massa e sentimento...E signos dos des.entedimentos.

tossan disse...

Tu és perfeita para a narrativa poética que tanto gosto! Beijo

Faust Sotam disse...

Quando o véu desce, e a verdade se apresenta no instante. Tudo é tão claro ,tudo é tão pacifico, que o mistério desaparece ... APARECE.

MARCOS disse...

Só faltou ver-te de vestido rendado, à porta, declamando aquelas palavras, enquanto, eu, devorado pela vida, sorrio, ávido e saciado.

Laís disse...

Naveguei em suas palavras! Lindo d+! Escreve um livro Fê.

RECOMENZAR disse...

Buscando blogs interesantes me encontré con el tuyo me ha gustado mucho
Abrazos desde lo lejos

Mauro Oliveira disse...

Belo texto, suas palavras é inspiração...
"assim fico parado
á olhar a tela
encantado.
com seus textos
poéticos fico
maravilhado com
tanta sabedoria"

LetrasAlinhadas disse...

Olá. ''Tropecei'' no teu blog e gostei. Vou voltar. :)

A.S. disse...

Um belo texto poético!
Palavras ao mesmo tempo precisas e misteriosas, que se perdem no segredo das silabas que só os poemas conhecem!...


Beijos...

Nega. disse...

Adorei a visita no blog.
Seu cantinho aqui é adorável.
Esse texto me lembra capuccino e poesia =D
Beijoos

Cadinho RoCo disse...

Tão bom encontrar a porta aberta!
Cadinho RoCo

Joshuatree disse...

Sou todo silêncio, quando tua alma fala e me agita.

Confesso-me, profundamente grato por isso.

Abraço no coração.

Pink Rose disse...

Linda, obrigadissima pelo comentário.

Nossa, se pudesse ouvir tudo que vc tem a dizer sobre o tema, ouviria. Basta falar. Ou mandar um email. hehe...

Bjks ^^

http://amorfilosofoamor.blogspot.com/

MARCOS disse...

obg por participar na obra.
seu texto,
hummmm,
é um deliciar com os potes.
só de ve-los.
não precisa,
em alguns momentos,
nem de abrir.

PS coisa séria sô.

PS 2 eu também tinha este problema, mas imagino, quando a vejo, que ela seja uma operária suada, que por nós exsuda, e, que já descabelada, nos espera, para gozarmos em sua cama de algodão.

bj, bjs

MARCOS disse...

aqui... sua escrita é emocionante! já te falei antes?

"Entras pela porta a agitar braços e pernas e porquês. E me viras a face ao silêncio de nós. Nós. E as janelas, o vento, o som da música vem, vai. Ai! E o ir e vir, o dia claro, onde está o céu?...as estrelas...prossiga, me sinta, te vejo. Em teus olhos, aquela que pela manhã perdera a hora. Por achar a noite perdida ao passo do negro céu de lágrimas trovejantes."

PS dá uma cena de filme...

Filipe M. Vasconcelos disse...

Palavras doces minha amiga... tens usado palavras doces.. e gosto disso.. Mas confesso que sinto falta tb das palavras duras, que fazem um tempinho que não rondam por aqui... Palavras duras, de advertência, de imposição.. mesmo que seja imposição de sentimentos...

Fala sério né Fernanda.. quase não comento por aqui e quando comento fico dando pitaco nos seus versos... pode pedir para eu catar coquinho..rsrsr

Alam Oliveira disse...

Gostei não!

Muito texto, muitas palavras, muito conteúdo...
Tudo em excesso prejudica, até mesmo os elogios!
Quando vc começou a ler este comentário deve ter ficado puta da vida! Mas era só pra vc perceber que temos criticas e elogios, as criticas nunca são construtivas, odeio quem diz, critica é critica, elogio é elogio!

E não fala que eu to sendo digretivo!

Bjão!

Flavitcho disse...

Fim.

lindo!

:)

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.