terça-feira, 7 de abril de 2009

Sentença

Está clara como a madrugada de março;
Silenciosa como a mudez do telefone;
Imersa em remédios que não chegam à alma;
Ditas ao movimento do carro a negar o fato e a reforçá-lo ao imaginário do outro -
que segundo os dizeres, sempre o cria.
Ato consumado.
Confirmado.
Houve traição.

7 comentários:

tossan disse...

As tuas narrativas sempre me sopram a poesia..Beijo linda Fernanda.

A.S. disse...

A traição acontece quando se nega a evidência...

Bjos... e Boa Páscoa!

Joshuatree disse...

Haja o que houver, confia em tua poesia, é ela quem abre teus caminhos da alma, e você é sempre tão adorável assim ...

Beijo no coração e coma chocolate.

Feliz páscoa amiga minha.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

A poesia se faz verso e o verso se faz verdadeiro.Lindo.
feliz Páscoa Fernandinha.

Tentativas Poemáticas disse...

Querida amiga
Passei para lhe desejar PÁSCOA FELIZ.
Beijinho com ternura.
António

Alam disse...

Sentindo um pouco de intertextualidade - lá da Lilian dos períodos anteriores, percebi um Q não dá Globo, mas um que de Dom Casmurro! - Viagem nos comentários? Será que houve traição? Teria Capitolina, ou simplesmente Capitu, traído Bento Santiago com seu amigo Escobar!
A mulher é malvada, afirma o autor Machado e sustenta suas ideias com preceitos bíblicos.

Muito bom, deu pra eu viajar! Como se não viajasse comumente, normalmente, tododiamente...

Filipe M. Vasconcelos disse...

Não trair ao outro não seria uma traição a sua própria vontade..? Deixar seu desejo a despeito do outro..?

Que belo poema minha amiga..
A profundidade da sua poesia é cativante...

Beijos de quem lhe admira!

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.