quarta-feira, 1 de abril de 2009

Tango

"...quando você faz a minha carne triste quase feliz..."
Zeca Baleiro


Se postaram frente um ao outro não respeitando o senso da boa distância física. Fincaram olhar que alienava tudo à volta. Até que um deles fugiu em um golpe de retorno, em um virar de face que negava os dizeres dos olhos que o delatavam. De seu próprio relato ocular; sua confissão.

Ao meio sorriso estava; ao sorriso do abismo que gentilmente conduzia seus passos; ao braço cujo corpo ofertava costas ao outro peito.

E rodaram gotas de sangue em um ir e vir de força que mescla um espiral de amor e amor.

Giraram até quando não mais sei.

12 comentários:

João Rafael disse...

A distância física pode ser o crepúsculo dos olhares, ou o esvaziar de uma mente criativamente, romântica e platônica...

FREDERICCO BAGGIO disse...

Ahhh que delicia isso!

Menina... foi um prazer te ler... cujo lagrimas escorreram a face... sem eu poder conte-las!

Obrigado, obrigado, obrigado!

MARCOS disse...

aquele filme que o cara era cego e dança tango em uma das cenas...


senso da boa distância...
ai...

Sr do Vale disse...

Darias-me a honra dessa dança?

tossan disse...

O Sr. do Vale roubou a minha fala, ele foi mais rápido. Beijo

Pedro disse...

Gostei desse pequeno conto :)

Anônimo disse...

Gracinha, moça!
Como me achou?
Adourei!
Beijo!

Cultura Malcriada - disse...

Oi Fernanda!
A imagem que você colocou pra ilustrar o post está fantástica, assim como a sua "descrição", sutil, quente e íntima! Demais!
Até mais!!!

manzas disse...

O sol rasga os panos do horizonte
Em pacífico brilho de sua magnitude…
Cadenciado ondular que em mar bronze,
Excelsa beleza no marulhar da virtude!

A rocha na ânsia do dia, bebe sedenta do mar,
Firmada num profundo e desigual chão azul …
Cristalizadas águas reflectem o planar,
Das majestosas e imperais… gaivotas do sul!

Gostava que comigo
Desse asas á sua imaginação,
No… “Portal da rocha… penedo do guincho!”

Um bom fim-de-semana,
Com muita inspiração
E na mente… um sorriso!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Euzer Lopes disse...

Sabe o que eu penso do Tango? É uma das danças mais misteriosas do mundo.
Por que não adianta: os dois não estão somente dançando.
Tango é uma dança onde o olhar faz parte dos passos.
Tanto o dela para ele quanto o dele para ela.
Diferente da valsa, do bolero, do samba, ou de qualquer coisa que baste mexer o corpo, como eu disse, Tango se dança com os olhos.
É uma maneira de duas pessoas conversarem sobre algo jamais dito em palavras.
E por mais que haja centenas de pessoas olhando os dois dançando, JAMAIS entenderam o que seus olhos disseram para os outros olhos.
Só os dois.
É o que eu poderia chamar de UMA DANÇA ONDE NADA, DEPOIS DELA, SERÁ COMO ANTES.

Filipe M. Vasconcelos disse...

O desrespeito ao senso de boa distância é um respeito aos desejos mais íntimos de um par... a dança, neste caso, é somente um pretexto para se realizar o que outrora não poderia ser realizado sem chocar os olhos dos que observam...

Hilário Pereira disse...

Tango é comunicação e ritmo! Pausa para o merchan!

É dança, é ritmo, gostei!!

 
Creative Commons License
Degustação Literária by Fernanda Fernandes Fontes is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.